Carro ‘fumacê’ percorre bairros com maior incidência de dengue para conter Aedes em Araguaína; veja locais

0
7

A aplicação ocorre das 3h30 às 8h e das 15h30 às 20h. O serviço está sendo realizado com dois veículos, que passarão por três vezes em 26 bairros. Carro fumacê percorre bairros com maior incidência de dengue em Araguaína
Marcos Sandes/Prefeitura de Araguaína
Araguaína, o segundo maior município do Tocantins, notificou 179 casos de dengue só nos primeiros 10 dias de janeiro. Para tentar conter a proliferação do mosquito Aedes aegypti, a prefeitura tem utilizado o carro fumacê, que percorre vários bairros espalhando inceticida.
Compartilhe esta notícia no WhatsApp
Compartilhe esta notícia no Telegram
A aplicação pelo fumacê ocorre das 3h30 às 8h e das 15h30 às 20h. O serviço está sendo realizado com dois veículos, que passarão por três vezes nos bairros com maior incidência da dengue.
Até o momento, 26 bairros onde moram mais de 90 mil pessoas têm programação para o fumacê: Ana Maria, Araguaína Sul, Centro, Céu Azul, Dom Orione, Jardim dos Ipês 1, Jardim Paulista, Morada do Sol 1, Noroeste, Nova Araguaína, Raizal, Cimba, Costa Esmeralda, Lago Azul 1 e 4, São João, Senador, Carajás, Maracanã, Palmas, Tocantins, Universitário, Vitória, Tiúba, Vila Azul e Vila Ribeiro.
Além fumacê, agentes de endemias também fazem visitas a casas para alertar moradores quanto à limpeza de quintais.
Em 2021, os agentes de endemias realizaram quase 400 mil visitas domiciliares e destruíram 30 mil focos e mais 86 mil depósitos que poderiam vir a ser focos, segundo o município.
Desse total, 74% dos focos estava dentro das residências; outros 19%, em terrenos baldios; 6%, em comércios e 1% em outros tipos de locais.
Os dados apontam que em 80% dos casos, os focos do mosquito são encontrados em vasos, pratos e frascos com plantas, bebedouros de animais, e sacos plásticos, potes, garrafas e latas descartadas inadequadamente. Em 13%, os focos estão em pneus e outros materiais rodantes.
De acordo com o último Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAA), que mede o número de focos do mosquito Aedes aegypti por casa, Araguaína alcançou uma marca de 8%, um valor considerado alto, já que o índice máximo aceitável pelo Ministério da Saúde é de 1%. A porcentagem foi obtida por meio de pesquisas no último bimestre e cresceu em relação ao quarto bimestre (setembro e outubro), quando marcou 4,9%.
O ano de 2021 terminou com 1.284 casos confirmados de dengue. O número é quatro vezes maior do que o registrado em 2020, quando foram 340. A prefeitura acredita que pode ter havido uma subnotificação, já que em decorrência da Covid muitos moradores evitaram ir aos postos de saúde.
Veja mais notícias da região no g1 Tocantins.

Fonte: G1 Tocantins